Vinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo Slider

Na folia do feriado, uma seleção de bebidas refrescantes. Escolha e divirta-se

Em dias de muito sol, quase nada, além de água e gelo, parece ser o bastante para refrescar. Pensar em uma bebida feita com destilado forte em um calor de rachar pode não agradar, mesmo no caso de uma caipirinha com muito gelo. Para essas ocasiões, o melhor mesmo é um drinque “frozen”, uma espécie de intermediário entre o coquetel e a raspadinha. Não à toa esse modelo de drinque é notório em regiões de clima quente e de veraneio. O mais famoso deles, a frozen margarita, é campeã de pedidos em praias mexicanas e caribenhas. Ali, a combinação da bebida muito gelada e o suco de limão – além da tequila , claro – vem a calhar.

Mas nem só de limão se fazem as margaritas. Com gelo moído e uma tequila prata à mão, é possível usar a fruta que estiver disponível. Abacaxi, manga e frutas cítricas são bem-sucedidos ingredientes para a receita. Segundo o livro O Guia do Barman , de Ben Reed (editora Estampa, de Portugal), o importante é saber dosar a quantidade da fruta para criar um coquetel equilibrado. “A mangorita [margarita de manga] é fácil de fazer, mas muito complicada para acertar. A manga é uma fruta com sabor forte, que pode sobrepor completamente ao da tequila, por isso tenha cuidado para não acrescentar manga demais, especialmente se estiver bem madura”, anota em um trecho de receita.

Conheça também: Água de coco é a cara do verão

Quem vai fazer o preparo em casa sabe que a dificuldade maior não é acertar as doses, mas ter o gelo moído – contratempo que passa longe dos bares que têm maquinário disponível para fazer o serviço. A intuição óbvia, que é bater no liquidificador, pode ter resultados desastrosos (como pifar o aparelho) se não forem tomados os devidos cuidados. Para a empreitada, a dica do barman Leandro Martins (o Leandro “Rasta”) do bar paulistano  Eu, Tu, Eles , o melhor é usar cubos menores de gelo ou quebrar os gelos maiores em um pano antes de batê-los. “Dá para obter a mesma textura”, afirma. 

Se a festa é na piscina, o cardápio é mexicano ou mesmo o drinque frozen vai ser o grande destaque do evento, vale investir no maquinário. Algumas empresas alugam máquinas profissionais de drinques frozen – com capacidades e preços variados – que produzem grande quantidade da bebida. Elas moem o gelo e ficam misturando permanentemente todos os ingredientes da bebida, além de manter o gelo sem derreter. Para os mais empolgados e aficionados por “gadgets” de bar e cozinha, existem também aparelhos menores à venda. Domésticos, em geral importados , eles apenas misturam os ingredientes todos e são muito semelhantes a um liquidificador com a função de moer gelo.


Coquetéis abaixo de zero

Apostando na variação de sabor e tendo como bom incentivo o verão brasileiro, profissionais da coquetelaria criam novas receitas inspiradas no formato das margaritas. Leandro Martins adaptou o tradicional daiquiri frozen, um drinque oficial e reconhecido pela International Bartenders Association quando feito com sorvete. “Sempre crio drinques frozen. Neste caso, parti do daiquiri, que mistura rum, açúcar e limão, e acrescentei alguns ingredientes mais doces. Fez sucesso especialmente com o público feminino”, diz Martins.

Se ficou inspirado e quiser fazer suas próprias criações, o barman dá algumas dicas. “Muitos drinques podem ser adaptados para o formato. O ideal é ter uma receita base do coquetel mais curta, com 100ml, e completar o resto com gelo picado e fruta”, explica. Outro segredinho bom é colocar bastante gelo e já bater com os ingredientes no liquidificador. Confira as receitas e experimente.